MENU

Transformando o seu lazer em devocional

Os bons hábitos surgem de atitudes tomadas contra a mesmice do ócio.


Transformando o seu lazer em devocional

Depois de um dia cansativo de trabalho, geralmente, a vontade é ir direto para casa, tirar a roupa suada e tomar um banho demorado e reconfortante. Resolvido o desconforto externo do corpo, a necessidade imediata continua física: alimentar o corpo e dar-lhe repouso.

Se você é um filho ou marido amoroso, a mamãe ou a esposa devotada já preparou um jantar caprichado. Quem não tem esse privilégio precisa se virar sozinho na cozinha.

Se você mora acompanhado, é de lei bater um papinho, perguntarem-se como foi o dia e curtirem um pouco a satisfação do reencontro. Faça isso! É um bom começo. Se o dia foi bom, a noite está garantida; se foi difícil, é importante que ambos confortem seus ânimos para a concórdia e a comunhão familiar.

Você já deve estar ansioso para dizer:

– Tudo bem, entendi. Mas, e aí, quando é que eu posso ligar a televisão?

Eu respondo: – Não faça isso!!!

Olhe o título de novo e lembre-se que o objetivo é transformar o seu lazer em devocional.

Não! Não pare de ler, volte aqui. Não desista antes de tentar. Eu já li no jornal que não tem nada de bom na televisão. Vamos voltar para o propósito.

O filho ou o casado, de preferência, convide sua companhia a participar. Se não quiser, peça licença e continue no bom propósito. O solteiro… Pare de olhar para o televisor, não vai ligar! Agora, pega a Bíblia ou aquele livro ótimo que você comprou por impulso e nunca leu e comece a ler. Já posso até ouvir:

– Ler? Ah! Qual é? Tô fora! Eu vou ver a novela…

– Não! Não faça isso. Daqui a três dias você pode ver e confirmar que está tudo na mesma enrolação.

O casado (ou o filho, fique entendido), se a sua companhia gostou da ideia (eu sou otimista), pode ler em voz alta. O solteiro leia como quiser. O importante é escolher um lugar confortável, com boa iluminação, e ler. Ler não dói.

A leitura educa a alma, dá repouso ao corpo e desperta o espírito. A leitura ativa áreas da percepção, da memória e do pensamento, que no trabalho material não se usa comumente. A leitura melhora o vocabulário, a articulação das palavras, desperta para sensibilidades mais apuradas. Por isso, não leia correndo. – Não é uma prova de cem metros rasos. – Leia e reflita, elucide suas dúvidas, encontre respostas, isso se chama meditar:

 “Bem-aventurado o varão que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Ele age assim, porque “antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite” (Salmos 1:1,2). 

O crente bem alimentado na Palavra de Deus é forte para vencer o cansaço cotidiano, as ofertas do mundo e as tentações do diabo. Converse sobre o que entendeu, exercite o raciocínio. Ah! O sozinho pode falar com Deus, Ele ouve – e não vai ter ninguém pra te chamar de maluco mesmo.

Se você quebrar a rotina, intercalando outros interesses com a prática da leitura, vai descobrir uma coisa maravilhosa: o prazer da leitura devocional.

A leitura da Bíblia, e de textos inspirados nela, santifica o coração do crente. “Santifica-os na verdade: a tua Palavra é a verdade” (João 17:17).

Mas, se você é um chato que não gosta de ler mesmo, então, ao menos, pegue aquele CD de cânticos espirituais que você já não escuta a um tempão e coloque para tocar. Apague as luzes e escute em silêncio, ou cante junto se quiser, mas não ligue a televisão.

Acho que você ainda vai reclamar:

– Ah! Mas aí eu vou dormir!

E eu te respondo:

– Tudo bem, a maioria das pessoas que liga a televisão acaba dormindo mesmo…



Carioca, servidor público do Estado, presbítero da Assembleia de Deus de Nova Iguaçu/RJ e professor da Escola Bíblica Dominical. Autor do livro: Na Sombria Solidão Ouvi a Tua Voz.

Assuntos: , ,


Deixe sua opinião!