MENU

O clamor de uma alma

No tocante a mim, confio na tua graça; regozije-se o meu coração na tua salvação.6. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. Sl 13:5,6


O clamor de uma alma

Senhor, quantas vezes meu coração gritou;
Desesperado, como terra seca, a Ti clamou.
Sedento, confuso, infértil e sem direção;
Esperando em ti um vislumbre de paz e mansidão.

Impotente me sinto, como um galho prestes a quebrar;
Sem forças, com um filhote à sua mãe a clamar.
Olho para o céu na esperança do teu agir;
Olho para mim mesmo, como prestes a sucumbir.

Ao olhar para dentro de mim percebo o quanto, oh Pai, preciso de Ti;
Preenche-me até que não reste mais espaço para mim.
O que sou sem a constante companhia do Senhor?
Uma alma vazia, sem rumo, sem força e sem vigor.

Minha alma grita, clama, se debate a chorar;
Na esperança de te ver, meu Pai, e a paz então encontrar.
Quando estou aos teus pés tenho certeza da vitória;
Mas longe de Ti, até a vitória vencida se torna derrota sentida.

Ao fim de tudo, só quero e desejo teu abraço;
Ouvir teu coração e sentir o teu afago.
Oh Pai, independente mim, sei que sozinho nunca me deixou;
Abre meus olhos Paizinho, para que eu veja e sinta o quanto me amou!



Casado com Hellen Sousa e pai da princesa Acsa Sousa. Membro da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (ANAJURE). Servidor Público Federal, graduado em Teologia e em Gestão Pública, e bacharelando em Direito. Diácono e Líder do Ministério de Acolhimento da Igreja Batista Cristã de Brasília. Contato para ministrações e estudos bíblicos: [email protected]


Deixe sua opinião!